terça-feira, 3 de abril de 2012

# Dia 3 | Objecto azul


Porque ainda há vozes que são silenciadas, porque o direito à liberdade de expressão ainda não é total e pleno, apesar de consagrado na Constituição Portuguesa. Para que a memória não se apague. O lápis azul da censura.

22 comentários:

  1. Uma bonita fotografia e uma bela ligação à (pouca) liberdade de expressão.
    Beijinho*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O século XVI é remoto para a memória mas parece qeu não aprendemos nada. Este ano a Revolução de Abril faz 38 anos. Liberdade de expressão continua a ser um conceito abstrato para muitos.
      Bj

      Eliminar
  2. Muito bem Lemon :)
    Sempre inspirada :P
    Kiss

    ResponderEliminar
  3. Eheheh... Adorooooooooo lápis de corrrrrrrrrrr!!
    Estou a babar pela imagem :)

    ResponderEliminar
  4. fantástico! gostei muito, bela ideia.
    ***

    ResponderEliminar
  5. Para mim este será o post do dia.

    "Para que a memória não se apague". Isso mesmo.

    Beijo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. No dia que perdermos a memória perdemos a identidade como Povo, parece-me que perder a memória seria tão mau como perder a identidade nacional,comentário feito sem nacionalismos. Obrigada Carla. Bj.

      Eliminar
  6. Muito lindo o teu post... O teu afilhado adora a história do "Lápis Azul" da Rita Basílio! Viva a liberdade de expressão!
    Beijocas minhas e do Dinis

    ResponderEliminar
  7. Ahhhhhhhhhhhhhhhhhhhh
    Sabes como me conquistar!!!!
    Adoro gradientes!!!!!!!
    É bom recordar que ainda há um caminho a percorrer!
    Jocas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É bom que não nos esqueçamos. Por vezes o lápis azul bate-nos à porta quando menos esperamos. Bj

      Eliminar
  8. Muito bem escolhido! Gostei deste teu post, para o terceiro dia do nosso desafio, querida Lemon!

    ResponderEliminar
  9. gostei muito :D já vi que para ti nada é deixado ao acaso...tudo tem significado, gosto disso ;)

    ResponderEliminar