sábado, 31 de março de 2012

# 31 Dia | Saudade


"Tenho às vezes saudades do futuro, 
Como se ele já fora decorrido... 
Um sentimento escuro 
De quem, antes da vida, houvesse já vivido..."

Cantos Indecisos, Teixeira de Pascoaes



Tenho muitas vezes na vida saudades do futuro, saudades incomensuráveis. Quando o passado é interdito, o presente suspenso, resta-nos reescrever o futuro. Por isso, tenho saudades do futuro. O meu outro lado do espelho, o lado escondido, oculto, aquele que não se vê nos sorrisos, espera o futuro. Irei errar, irei cair, uma e outra vez, irei pedir desculpa e aprender com os erros mas acima de tudo irei olhar para a vida de frente, sempre olhei, morrerei a tentar, não sei desistir. Sei que o meu mundo se vai estilhaçar uma e outra vez e que um dia não vai haver mais solução para tanto estilhaço. Sei que vou ter que acordar para manhãs que não quero viver, sei que vou perder, sei que um dia o caos vai vencer. A vida ensinou-me a morte mas não me permitiu as lágrimas. Não gosto de despedidas, prefiro um até logo, disse adeus uma vez na vida, se pudesse voltar atrás desdizia-o. Por vezes vejo o futuro, vislumbro-o no crepúsculo dos dias, na hora mágica. Tenho saudades do futuro mesmo que ele não se cumpra, mesmo que amanhã me pare o coração, que a vida se suspenda em mim. Hoje, amanhã e sempre terei saudades do futuro, do futuro que deixa os sonhos serem sonhos. Sonhos cumpridos.

sexta-feira, 30 de março de 2012

# Dia 30 | Sedução

Sedução, seduction, seducción, seduzione, séduction, verführung, stuprum, αποπλάνηση, обольщение, 誘惑, delogo, baştan çıkarma, forførelse, seducció, 誘惑, verleiding...



Vai uma apostinha que vai sair sessão de parvoeira again???? Eu apostava, it's straight from the horse's mouth...  às vezes dá-me estática no cérebro e é uma desgraça, começo a dizer disparates, profundos disparates, é uma disparatada forma de ser. É que pedirem-me algo sobre sedução é assim a piada do século, dá-me para a risota e é uma chatice, é que depois nem de rolha na boca, não me calam. Ora vamos lá a um exercício de memória, não me lembro desta aula, das duas três, ou faltei ou fiz como uns alunos queridos meus que terça de manhã me adormeceram na aula de História de Arte... ilações: era uma aula muito sedutora! Da pafernália de línguas que ali em cima constam consigo ler nem meia dúzia delas e nem assim estou esclarecida. Continuo do lado escondido da Lua, Lemon cariño, andas muito distraída na vidinha e depois dá nisto as pessoas perguntam-te coisas e é tipo estudar a arquitectura palaciana, fazes de burro, tá???? Quando ficar update com a aula que me devia lembrar volto a falar disto, promise...

quinta-feira, 29 de março de 2012

# Dia 29 | Look


Lemon, cariño, algo me diz que vais ter um ataque de parvoeira dos grandes a escrever isto. Look, look... supostamente isto devia ser alguma coisa relacionado com fashion looks, right? Wrong, can't do that... Ora bem, look, até escrevia qualquer coisinha sobre o assunto se percebe-se alguma coisinha sobre o assunto! Como não percebo vamos lá teorizar sobre looks. Mulheres com um look fantástico, qualquer uma das da foto, ícones mais precisamente na minha modesta opinião.
Sou uma nulidade nesta coisa da moda, aparvalho, é uma sorte não passar a vidinha de calças de ganga e sapatilhas, não passo porque não posso. Abro uma excepção às modas, sapatos, gosto, e gosto de saltos altos. Profissionalmente passo muito tempo a ver lojas, a olhar para as modas, logo, quando toca a ter que comprar roupita ou a pensar no assunto dá-me vontade de fugir. Sei o que não gosto, sei o que nem sob a ameaça de uma arma vestiria, mesmo que fosse o supra-sumo da moda. Não gramo saias, são-me desconfortáveis, desconfio que isto é um trauma qualquer que ainda não deslindei e ultimamente tenho que as vestir amiúde, é castigo, as calças passaram a ter espaço excessivo. Não consigo vestir roupa amarela e a maior parte dos verdes irrita-me. Passo a vida a ouvir pérolas da minha mãe, sou o desgosto da vida dela, segundo ela só andei arranjadinha enquanto ela me comprava a roupa... Nem vale a pena entrar em considerações quanto ao cabelo, perdi a conta às vezes que me pergunta se eu já me penteei... Fazer malas muitas vezes dá-nos uma perspectiva engraçada sobre quantidades de roupa, consigo meter a minha toda numa mala. Enfim, cresci no meio de mulheres bonitas, sei a diferença, não há look que faça milagres quando a matéria prima não é grande coisa.

quarta-feira, 28 de março de 2012

# 28 Dia | Pessoa

Nenhuma em particular e todas. Somos o somatório das pessoas que nos passaram na vida. Umas ficam, outras partem, outras simplesmente passam. Umas dizem-nos tudo outras não nos dizem nada. Aquelas que me iluminam o sorriso, que me amparam as quedas, que me dão a mão, que me dividem os dias, que me moram na vida e no coração mesmo que eu não lhes diga o quanto são importantes, essas são a minha PESSOA, são o eu repartido, são o somatório, são o todo.

terça-feira, 27 de março de 2012

# 27 Dia | Sonho


Um dia sonhei-te
Com todas as cores do arco-íris nos olhos
Sonhei-te como só se sonham os sonhos
Sonhei-te doce
Sonhei-te com o riso nos lábios
Sonhei-te com o perfume do chocolate na pele
Sonhei-te quando te vi
Quando me cruzaste a vida
Quando me sorriste
Sonhei-te como só se sonham os sonhos
TMT

Porque os sonhos são uma constante, porque no dia que deixar de sonhar estarei morta, porque acreditarei até ao meu último suspiro que o sonho é a força motriz do mundo, porque gostaria de tecer sonhos e oferecê-los de porta em porta, de olhar em olhar e porque um dia me atrevi a sonhar contigo.

segunda-feira, 26 de março de 2012

# 20 Sweet Sin | Pecado Doce

Começou como um cheesecake acabou num gelado. Por vezes as coisas correm mesmo mal. Assim sendo a base é chocolate, o creme é o do cheesecake mas recheado com doce de mirtilo vermelho. | Started as a cheesecake and ended as an ice cream.  Sometimes things go wrong. Therefore the base is chocolate, the cream is the usual cheesecake cream stuffed with lingonberry reduced sugar jam.

# Dia 26 | Comida


Tirando a comida que leve sangue, vísceras e as sardinhas assadas acho que vai tudo, resumindo gosto de comer. Não sou fã de açúcar mas nos últimos meses ando a  aprender, não tem sido fácil mas vou tentando.
Detalhe técnico adoro caldo verde e azeitonas, gosto tanto que como como uma desalmada, as azeitonas geralmente fazem parte dos meus desvarios alimentares, não como meia dúzia, não senhora, é mesmo frascos de 250 gramas. Desvarios alimentares é cá comigo, é ver-me a comer pequenos almoços estranhos (já meteram caldo verde, canja, pregos...) e ceias mais estranhas ainda (metem muitas vezes as azeitonas e as batatas fritas, há dias meteram também mexilhões de escabeche, achei que ia acordar doente, nadita, fresca como um alface...). E dado o tardio da hora que estou a escrever isto acho que vou ver o que se pode comer...

domingo, 25 de março de 2012

# Dia 25 | Medo

Cobras, víboras, serpentes...

Medo, terror, pavor, pânico... 
Desde criança que tenho pesadelos, não sei como começaram mas sei que nunca desapareceram, preenchem-me as noites. Alguns são recorrentes, as cobras. Há umas noites atrás, durante as horas de sono, poucas para variar, fui mordida por várias ao mesmo tempo, rodeavam-me e mordiam, não sei como mas as cabeças iam sendo decepadas e depois era só sangue e cobras, cabeças de cobras decepadas a morderem, um horror. Geralmente são cenas destas. Resultado tenho verdadeiro pavor de cobras. Gelo, paraliso, tenho um ataque de pânico se me metem uma à frente.

sábado, 24 de março de 2012

# Dia 24 | Data

1 de Abril

Se o mundo fizesse sentido prendiam-me ao pé de uma mesa neste dia e não me deixavam sequer decidir o que comer... Punham-me encerrada para balanço! Não prego petas, não digo mentiras, não engano ninguém, simplesmente tomo as piores decisões da minha vida a 1 de Abril, se a asneira pessoal tem um dia, o meu é o 1 de Abril. Até eu me espanto da minha (in)capacidade de discernimento a partir do segundo que o dia começa. Este ano pelo menos é ao Domingo... Já fiz asneiras suficientes neste dia para reconhecer um padrão!
 



sexta-feira, 23 de março de 2012

# Dia 23 | Solidão

One 
Aimee Mann

"One is the loneliest number
Much much worse than two
One is a number divided by two"

quinta-feira, 22 de março de 2012

# 22 Dia | Lingerie

La dolce vita...
Mi piace molto...

quarta-feira, 21 de março de 2012

# 10 Drops from the Heart



Suspender o olhar
Intervalar o sentir
Interromper o respirar
Adiar o amor.
Assim é ela.
Perdida entre dois mundos
Suspensa entre dois corações
Adiada
Interrompida
Aguarda o retomar do ser
Aguarda o reiniciar do sentir
O recomeço da vida.
Está ausente a alma
Está ausente o futuro
Hoje é só um presente interrompido
Que se manifesta em si.
TMT

Porque hoje é Dia Mundial da Poesia e porque sim...

# 21 Dia | Maquilhagem

Tenho um problema com eles, não consigo habituar-me a usá-los, um dia destes chego lá. Há uma caixa deles no meu armário, devem dar até ao fim dos meus dias pelo uso que têm. Uso os do cieiro (sabor a maracujá) e eventualmente um lip gloss...

terça-feira, 20 de março de 2012

# 20 | Objecto


Olympus Trip 35

Hoje pertence-me, está guardada à espera que a mande reparar. Foi comprada em Joanesburgo antes de eu nascer, numa das viagens dos meus pais. Acompanhou o meu pai em três continentes, é uma máquina viajada, tenho inveja dela, já viu coisas que nunca vi nem vou ver. A minha primeira fotografia foi feita com ela, esteve presente em muitos momentos importantes. Um dia destes volta ao activo. Ontem foi Dia do Pai...

segunda-feira, 19 de março de 2012

# 19 Dia | Série


VERANO AZUL

Se me pudessem ver agora viam um enorme sorriso ao escrever isto. A costela espanhola está com um sorriso de orelha a orelha. Esta serie me trae recuerdos bellos...

domingo, 18 de março de 2012

# 9 Drops from the Heart



Olhares
O olhar dela prende-se num detalhe qualquer dele, ele está de costas, não a vê. Ela não se sabe observada. Os olhos dela sorriem. É um sorriso de ternura, por segundos vejo-a prender-se naquele detalhe e o sorriso nasce. Desvia o olhar mas guarda o sorriso. O olhar dele segue-a discretamente, ele não o percebe. Ele não se sabe observado. Os olhos dele sorriem ao olhá-la, ele vê-a. Baixa o olhar mas guarda o sorriso. Por vezes os olhos de ambos cruzam-se e falam, um diálogo de sorrisos. Vejo-os trocarem algumas palavras, ele passa-lhe algo e as mãos tremem-lhe ligeiramente. Não se tocam mas ele procura a proximidade dela como ela procura a dele, gravitam um em torno do outro e não sabem. Não se sabem encantados, não se sabem enamorados. Observo-os e um sorriso desenha-se em mim. Queria vê-lo pegar-lhe na mão, olhá-la nos olhos. Queria vê-la entrelaçar os dedos na mão dele, olhá-lo nos olhos. Queria vê-lo abraçá-la e senti-la sorrir. Queria vê-la abraçada e feliz no sorriso dele. Talvez um dia os seus olhos se vejam como eu os observo, talvez um dia se encontrem num sorriso, talvez um dia saibam que o Amor cantou para eles e que a melodia que ouvem é a canção dos seus corações que se procuram a cada olhar. Talvez um dia lhes pegue nas mãos e lhes sele o destino.
TMT

# 18 Dia | Feriado

Ora estou aqui sentadita a pensar, mais propriamente a ruminar, como raio é que vou sair da embrulhada Feriado! A meia dúzia de alminhas que sabem quem se esconde atrás da Lemon até podem ter equacionado que poria aqui um certo feriado de Dezembro, dois em um, coisa e tal... wrong. Ainda bem que não posso ter uma converseta com o senhor que decide as coisas lá para a Assembleia senão esse feriadito levava um par de patins do calendário, da minha vida levou este ano. Encerrou para balanço, veremos se algum dia volta, temos dúvidas, não acredito em milagres. Assim sendo, Feriado, qualquer um, não sou esquisita! Desde que não seja o tal dois em um de Dezembro...

sábado, 17 de março de 2012

# 17 Dia | Frase/Poema

Amar!

Eu quero amar, amar perdidamente!

Amar só por amar: Aqui... além...
Mais Este e Aquele, o Outro e toda a gente
Amar! Amar! E não amar ninguém!

Recordar? Esquecer? Indiferente!...

Prender ou desprender? É mal? É bem?
Quem disser que se pode amar alguém
Durante a vida inteira é porque mente!

Há uma Primavera em cada vida:

É preciso cantá-la assim florida,
Pois se Deus nos deu voz, foi pra cantar!

E se um dia hei-de ser pó, cinza e nada

Que seja a minha noite uma alvorada,
Que me saiba perder... pra me encontrar...

Florbela Espanca

sexta-feira, 16 de março de 2012

# 16 Dia | Filme


Tinha 15 anos quando descobri a Florbela Espanca, apaixonei-me. Não consigo descrever o meu encanto por esta mulher. Nas palavras dela encontro o meu coração e a minha alma. Há quem tenha um herói, eu tenho uma heroína, ela.

quinta-feira, 15 de março de 2012

# 15 Dia | Local de férias

imagem retirada da web


O país que Afonso Henriques sonhou é o meu chão. Sou da saudade e do fado. O sonho do Henrique é o meu sangue, o mundo é o meu recreio. A nómada em mim é apátrida, não conhece fronteiras. Ser feliz com a mala feita é não escolher destinos e aproveitar a viagem. IR. A visão destes dois homens canta em mim, tange-me a alma.
Não sei escolher um destino quando os posso ter todos, posso traçar rotas  infinitas.
Portugal, Portugal, Portugal, uma vida não chega.
Um dia vou ajoelhar aos pés da mulher a quem devo o nome.
Um dia vou gritar aos quatro ventos o teu nome em Finisterre.
Um dia vou ver uma aurora boreal.
Um dia vou saber como é o Natal em Nova Iorque.
Um dia vou calcorrear a Bourbon Street.
Um dia vou atravessar o Atlântico de navio.
Um dia vou passar um verão na Toscana.
Um dia vou contar as gárgulas de Notre Dame de Paris.
Um dia vou ver o sol nascer no país do Sol Nascente.
Um dia vou atravessar os portões da Cidade Proibida.
Um dia vou apaixonar-me num canal de Veneza.
Um dia vou atravessar as Muralhas de Adriano e encantar-me.
Um dia vou deixar o Candomblé inflamar-me o sangue.
Um dia vou ver as neves do Kilimanjaro.
Um dia terei um pé em cada hemisfério.
Um dia vou ao fim do mundo...

NOTA:  Achei por bem não continuar a lista, podia estar aqui eternidades, para as concretizar todas o euromilhões dava jeito (não jogo). Traduzindo aquele palavreado todo em poucas palavras - dar a volta ao Mundo várias vezes para não faltar nenhum canto escuso...


# 19 Sweet Sin | Pecado Doce




Charlote de Morango. Já tinha pensado fazê-la mas hoje foi o dia, a dor de cabeça era tão forte que me apeteceu  brincar um bocadinho na cozinha. | Strawberry Charlotte. I've been thinking to do it for a awhile, today I made it, the headache was so strong that I needed a little fun in the kitchen.

quarta-feira, 14 de março de 2012

# 1 Tablecloth | Toalha de Mesa


Hand Painted | Pintado à mão
Special order | Encomenda especial

# 8 Bib | Babete

Hand Painted | Pintado à mão
Special order | Encomenda especial

# 14 Dia | Calçado

 magic red shoes

O meu primeiro par de sapatos vermelhos...

terça-feira, 13 de março de 2012

# 13 Dia | Cheiro/Perfume


Passiflora

No perfume escondido dos sorrisos
Encontrei a fragrância do momento
Em que o olhar cruzando
Cruzei a vida, o sonho, o tempo.
Cruzei o mundo dos teus braços
De lés a lés como peregrina.
Devota de santas relíquias,
Teus lábios.
Bebi o corpo, o sangue,
Embriaguei-me no perfume de ti.
Tremeram-me as mãos, fugiu-me o chão e descobri
Que tinha achado o tempo da paixão.
TMT

segunda-feira, 12 de março de 2012

# 12 Dia | Cidade

BARCELONA
Há precisamente um ano atrás o almoço foi aqui.



O Porto é a cidade do meu coração mas há cidades que me encantam, Barcelona é uma delas, ainda não se desvaneceu o projecto de fazer a mala de vez. Há um ano atrás o dia 12 de Março foi a um sábado e chovia em Barcelona, se chovia... Chovia tanto que na minha mala regressaram umas galochas! Antes do almoço já tinha apanhado uma molha fenomenal, já tinha descoberto que até sei regatear, entre o espanhol e o francês ganhei o regateio ao magrebino (tenho cá para mim que só ganhei porque o homem já estava farto de me ouvir). Mas funcionou a V. ficou com um guarda-chuva que funciona. Desconfio que aquela chuva toda foi só malandrice do São Pedro que me tem no caderninho dos malfeitores, atravesso a fronteira e chove. Alguma coisa de bem devo ter feito porque no dia seguinte a chuva foi pregar para outra freguesia e Barcelona acordou radiante e solarenga. A costela espanhola alegrou-se e pode dizer outra vez: Barcelona me haces sonreír.

domingo, 11 de março de 2012

# 2 Uma receita para ti ...


Vão ser estes que tenho que fabricar até dia 15 de Abril.

# 1 Uma receita para ti ...


Nas minhas andanças por aí encontrei este desafio da Arco-íris na Cozinha no canto da Farfalla, e pensei de mim para mim, why not?
Vamos ver como me saio.

# 11 Dia | Sobremesa

 
imagem retirada da web


Gelado de Canela. 
Porque gosto, porque hoje me apeteceu um ao pequeno-almoço, vá lá não foi caldo verde :P mas se houvesse ia...
Porque hoje tenho que resolver uns problemas num projecto que só me dá dores de cabeça e ontem às 19h o cliente lembrou-se que ia fazer alterações...
Porque estou triste, a costela espanhola está triste, hoje é dia 11 de Março, a nossa consciência não devia adormecer...

sábado, 10 de março de 2012

# 10 Dia | Parte do dia (manhã, tarde, noite)



Noite.
Clareiam-se-me as ideias. Consigo sentir o ritmo a acertar, a entrar no compasso suposto. Gosto de manhãs e de tardes mas a cabeça funciona melhor de noite, é a Lua a trabalhar em mim.
No entanto, se tivesse que escolher um momento particular do dia seria o crepúsculo. Talvez não consiga explicar com as palavras certas o sentimento, mas é a hora em que os mundos se cruzam em mim, é a magia em movimento, nestes momentos vejo com os outros olhos, ouço com os outros ouvidos e sinto aquilo que não é palpável. Os véus desvanecem-se sintonizo a frequência correcta.

sexta-feira, 9 de março de 2012

# 18 Sweet Sin | Pecado Doce

Tarte de Lima | Lime Pie

# 9 Dia | Mania/Superstição

Manias
Algumas, conheço-as quase todas. Uma já é conhecida falei dela aqui. Já não é bem uma mania é um comportamento obsessivo, acho que precisar de ordem na estante, nos armários nas gavetas é reflexo de ter que fazer tanta mala, preciso de saber onde estão as coisas. Depois é a mania do perfeccionismo, se há algo para fazer, faz-se bem feito ou não se faz. Estas duas podem irritar e a última por vezes irrita muito mesmo.
Superstição
Nenhuma, gosto de paixão do número 13, se for sexta-feira melhor ainda, de gatos pretos. Partir espelhos é giro... a martelo mais ainda e quando eles não se descolam da parede acabam partidos, tão certo como eu me chamar T!

quinta-feira, 8 de março de 2012

# 8 Dia | Amor


Amor é
O desassossego do Amor inquieta-nos a alma e revoluciona-nos a vida. Será o Amor um profundo egoísta ou um abnegado altruísta, perdemo-nos em conjecturas irreais. Não se quantifica o Amor, não tem comprimento, altura, largura, não tem volume, pode ter a eternidade dos segundos ou a do tempo indizível. Quando existe é supremo, magnífico, magnânimo e pérfido. Tem a perfídia do desespero, aquele desespero constante que nos revolve as entranhas e nos mantém vivos. É sangue e vísceras, é tudo. Em nome dele morremos e vivemos. Não se descreve, ainda não inventaram as palavras, os poetas cantam-no. É assintomático e pleno de sintomas. São os extremos contrapostos, a química e a física em reacção. A paixão não é o mesmo que o Amor mas faz parte dele, é o sal, o açúcar, o tempero. Amar alguém é trocar a nossa existência pela de outra pessoa, confundir braços e pernas, confundir a vida e fundir o desassossego. E por vezes não é nada disto, é qualquer coisa diversa. Por vezes é deixar alguém ser amado. Por vezes é saber abdicar do Amor. Não é caminhar à frente ou atrás, é caminhar ao lado. É darmos a mão ao Amor, dar-lhe colo, beijar-lhe a testa e secar-lhe as lágrimas, é fazer da sua dor a nossa dor, é rirmos com ele, fazermos-lhe cócegas, sonhar com ele e por ele. É acordar com ele no pensamento e ao adormecer dizer-lhe, boa noite. Mas mais do que tudo, o Amor é… 
TMT

quarta-feira, 7 de março de 2012

terça-feira, 6 de março de 2012

# 6 Dia | Sabor


"Sabor a caramelo
Te adoro
Te anhelo
Sentir la pasión
Te derrites con dolor
Sabor a café es el sabor de tu piel
Tus labios canela
 
Tus besos en la miel"


Tinha cá em mente uma fotografia toda xpto de limões, coisa e tal, depois esqueci-me de a tirar ontem, hoje não houve tempo e no caminho para o trabalho fez-se uma luzita na cabecinha, que às vezes até pensa. Ora aqui está uma canção que fala de sabor... A je até gosta da música e a costela espanhola da je ainda gosta mais e depois enfim me gusta, me encanta e voy a cerrar la boca. Ângela, lá haveria de chegar o dia em que eu ia pespegar aqui com isto...

segunda-feira, 5 de março de 2012

# 5 Dia | Foto


Há amores assim, feitos de água, imensos como o mar, velozes como os rios selvagens, cálidos como um lago ao entardecer.
TMT 

Não tenho aspirações a fotógrafa, nem de perto nem de longe, mas esta é uma fotografia que gostei de tirar.  Tenho que voltar ao lugar do crime...

domingo, 4 de março de 2012

# 4 Dia | Amuleto

falamos
trocamos palavras
dispersas entre sons.
são palavras soltas.
e entre palavras
conversam os olhos
encetam diálogos silenciosos.
falamos
abstraídos dos sons das palavras
outro diálogo
outro idioma
paralelo
e os meus olhos dizem-te
o teu sorriso é o meu amuleto.
TMT
 

sábado, 3 de março de 2012

# 3 Dia | Local

Rota de hoje: Lousã e as Aldeias do Xisto. O São Pedro foi maroto de brindou-nos com chuva a sério quando chegamos ao Talasnal. Mas IR é sempre bom.

sexta-feira, 2 de março de 2012

# 2 Dia | Mãe/Pai

Não consigo, tentei, tentei mesmo, mas não consigo. Não consigo fazer um post sobre Mãe/Pai. Pelo que foi, por tudo o que podia ter sido e pelo que é, não consigo. O pai já cá não está, a mãe caminha todos os dias para o vazio da memória. A mim resta-me o silêncio.

quinta-feira, 1 de março de 2012

# 17 Sweet Sin | Pecado Doce


Há dias assim, entramos na cozinha e dá asneira, a Charlote de Chocolate safou-se a Tarte de Pêssego teve tantos azares que ficou assim... | Some days are like that, we enter a kitchen and mischief happens, the Chocolate Charlotte got away with it but the Peach Pie suffered a hardship and that’s the result…



# 1 Dia | Livro

Do Amor e outros Demónios, Gabriel Garcia Marquez

Volto a ele com o encanto da primeira vez. Percorreu-me a vida como só os livros podem. É a história de Sierva Maria de Todos los Angeles e do Padre Cayetano Delaura. Por vezes o Amor é um demónio, outras um anjo, outras ambos.

Ontem fechou em Lisboa a Livraria Portugal, quando uma livraria morre, morre-se-nos um pouco da alma.

# 0 Dia | Desafio da Anita

E lá vamos nós outra vez...
A Anita desafiou e nós aceitámos.

Durante o mês de Março para cada dia:
1. Livro 

2. Mãe/Pai 

3. Local 

4. Amuleto 

5. Foto 

6. Sabor 

7. Estação do ano 

8. Amor 

9. Mania/Superstição 

10. Parte do dia ( manhã, tarde, noite) 

11. Sobremesa 

12. Cidade 

13. Cheiro/Perfume 

14. Calçado 

15. Local de férias 

16. Filme 

17. Frase/Poema 

18. Feriado 

19. Série 

20. Objecto 

21. Maquilhagem 

22. Lingerie 

23. Solidão 

24. Data 

25. Medo 

26. Comida 

27. Sonho 

28. Pessoa 

29. Look 

30. Sedução 

31. Saudade