quinta-feira, 8 de março de 2012

# 8 Dia | Amor


Amor é
O desassossego do Amor inquieta-nos a alma e revoluciona-nos a vida. Será o Amor um profundo egoísta ou um abnegado altruísta, perdemo-nos em conjecturas irreais. Não se quantifica o Amor, não tem comprimento, altura, largura, não tem volume, pode ter a eternidade dos segundos ou a do tempo indizível. Quando existe é supremo, magnífico, magnânimo e pérfido. Tem a perfídia do desespero, aquele desespero constante que nos revolve as entranhas e nos mantém vivos. É sangue e vísceras, é tudo. Em nome dele morremos e vivemos. Não se descreve, ainda não inventaram as palavras, os poetas cantam-no. É assintomático e pleno de sintomas. São os extremos contrapostos, a química e a física em reacção. A paixão não é o mesmo que o Amor mas faz parte dele, é o sal, o açúcar, o tempero. Amar alguém é trocar a nossa existência pela de outra pessoa, confundir braços e pernas, confundir a vida e fundir o desassossego. E por vezes não é nada disto, é qualquer coisa diversa. Por vezes é deixar alguém ser amado. Por vezes é saber abdicar do Amor. Não é caminhar à frente ou atrás, é caminhar ao lado. É darmos a mão ao Amor, dar-lhe colo, beijar-lhe a testa e secar-lhe as lágrimas, é fazer da sua dor a nossa dor, é rirmos com ele, fazermos-lhe cócegas, sonhar com ele e por ele. É acordar com ele no pensamento e ao adormecer dizer-lhe, boa noite. Mas mais do que tudo, o Amor é… 
TMT

30 comentários:

  1. Palavras tão bonitas...
    Amei.
    Bjstos
    Feliz dia da Mulher

    ResponderEliminar
  2. uma verdadeira ode ao amor, lindo!
    dia feliz*

    ResponderEliminar
  3. Um texto belísssimo. :) Um dia feliz.
    Beijinhos*

    ResponderEliminar
  4. Tinhas razão Té, adorei o post de hoje. Já conhecia o texto mas de cada vez q o leio é como se fosse a 1ª.
    Obrigada.
    Beijo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Parabéns moçoila e obrigada. Acreditas que não me lembro quando o escrevi!

      Eliminar
    2. Isso é estranho em ti, mas a data em que o escreveste não interessa nada. Estará sempre actual.

      Eliminar
  5. Lindo :) (como sempre!!)
    Feliz dia para ti !! :*

    ResponderEliminar
  6. Maravilhoso...aliás como tantos outros, não sei como consegues... mas a verdade é que continuo a pensar que deves mostrar ao mundo essa faceta escondida! (agora não tão escondida;-)
    Beijocas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Calma Isabel, muita calma, mostrar isto ainda é muito conflituoso na minha cabeça. Sabes disso muito bem, é quase como ter que andar de saia :P

      Eliminar
  7. Pois... também concordo que devias andar de saia mais vezes!
    Bj

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois deve ter sido rogada um praga qq pq só os vestidos servem actualmente, tenho andado de saia :P

      Eliminar
  8. É esse fogo constante e o desejo de cuidar.

    ResponderEliminar
  9. UAU fiquei sem fôlego, este texto é lindo! e a fotografia está um espanto. Parabéns.

    ResponderEliminar
  10. O que fazer sem o Amor? Nada...
    A verdade é que por vezes é muito retorcido... Mas apimenta a vida ;)

    ResponderEliminar